Você está em: Home > Dúvidas Frequentes

Dúvidas Frequentes

Clique na pergunta desejada para obter resposta:

1. Se sou obeso posso ser operado?

Não. Se é obeso deve primeiramente passar por uma investigação clínica para determinar as possíveis causas. Estabelecidas as causas, estas deverão ser removidas com tratamento clínico. Se mesmo após o tratamento você continuar obeso, poderá consultar o médico especializado para avaliar se está enquadrado nos critérios de indicação cirúrgica.

2. E se eu decidir continuar gordo? Tem perigo?

Sim. A obesidade é uma doença crônica que precisa ser tratada. A incidência de óbito é muito alta nos obesos independentemente da presença de comorbidades.

3. Qualquer um pode ser operado?

Não. Nem todos podem ser operados. Pacientes com distúrbios psicóticos graves ou com doenças associadas de alto risco não poderão ser operados. No restante, pacientes bem investigados e com doenças associadas bem controladas podem ser operados (desde que tenham índice de massa corporal de 40 kg/ m2 ou de 35 a 40kg/ m2 associado a co-morbidades).

4. Pode-se engravidar após a cirurgia bariátrica?

Sim, é perfeitamente possível engravidar, mas é necessário esperar pelo menos um ano depois da cirurgia, e que a paciente não deixe de receber acompanhamento endocrinológico, evitando problemas como deficiências de vitaminas e ganho excessivo de peso na gravidez.

5. É necessária a realização de cirurgia plástica após a cirurgia bariátrica?

Muitas vezes, uma grande perda de peso pode causar flacidez, por isso alguns pacientes necessitam de cirurgia plástica. O que só poderá acontecer após um ano, com a autorização da equipe médica e avaliação especializada do cirurgião plástico.

6. Se houver arrependimento, a cirurgia pode ser revertida?

Sim, as cirurgias podem ser revertidas, mas não são realizadas com esse objetivo, mesmo que tecnicamente seja possível. Para se reverter uma cirurgia bariátrica é necessária outra cirurgia de igual ou até maior porte que a primeira. Portanto, a pessoa precisa estar bem consciente da sua decisão e por isso é fundamental a participação da equipe multidisciplinar tanto no pré como pós-operatório.

7. Basta operar e está tudo resolvido?

Não. Junto com a operação é necessária a participação em um programa orientado por equipe multidisciplinar formada pelo médico, psicólogo, nutricionista, fisioterapeuta, educador físico e outros que acompanharão a evolução do paciente em relação às mudanças dos hábitos alimentares e comportamentais, incluindo a sua readaptação no meio social.

8. Quanto tempo dura a recuperação?

Seis semanas, sem atividades extenuantes. A maioria dos trabalhos de escritório e rotineiros podem sem reiniciados em cerca de duas a três semanas.

9. Quanto um paciente submetido a cirurgia precisa comer durante um dia?

É recomendado que ele coma pequenas quantidades, quatro a cinco vezes ao dia nos primeiros seis meses. Depois, de três a quatro refeições regulares, se necessário, para evitar hipoglicemia. O paciente vai perceber quando se sentir satisfeito e este será o ponto que deve parar de comer para evitar a regurgitação.

10. Qual é o peso que se espera perder após a cirurgia?

A velocidade e a intensidade da perda de peso são muito variáveis de pessoa para pessoa, havendo indivíduos com tendência a uma perda mais arrastada, ou menos intensa. A maior parte do peso é perdida nos primeiros seis meses, e vai progredindo até mais de dois anos. O aumento de atividade física pode acelerar esta perda, se também houver uma restrição do açúcar, significativa. A maioria dos pacientes perde mais de 1/3 do seu peso original no período de dois anos, ou em media 65 a 75% do excesso de peso, ou mais.

11. Porque alguns pacientes passam por períodos de depressão depois da cirurgia?

A maioria por expectativa irreais em relação aos resultados da cirurgia e também pela falta de acompanhamento psicológico e nutricional, que são extremamente importantes no momento pós operatório.

12. Se eu diminuir a ingestão calórica diária eu perderei peso?

Ao diminuir a ingestão calórica diária você perderá peso, porém é essencial que o seu plano alimentar seja monitorado pelo seu nutricionista a fim de evitar complicações decorrentes de uma dieta com poucas calorias (hipocalórica) e mal elaborada onde alguns nutrientes são supervalorizados e outros excluídos da sua alimentação. O objetivo do acompanhamento nutricional é buscar o bem estar físico e emocional, através da seleção dos alimentos que contenham os nutrientes mais saudáveis e que estejam adequados às necessidades de cada indivíduo para que a rápida perda de peso não leve à desnutrição.

13. Qual atividade física é melhor para perder peso?

Qualquer atividade física auxilia na perda de peso. O que vai influenciar neste processo, não é a modalidade do exercício, mas quanto tempo é gasto para fazê-lo. O importante é fazer uma atividade física que goste e que dê prazer. Caso tenha algum problema de saúde, o médico deverá ser consultado com antecedência.

Galeria de Fotos